Como encontrar um buraco negro com o MUSE

Esta animação explica o método usado por uma equipe de astrônomos para descobrir um pequeno buraco negro fora da nossa Galáxia — o primeiro descoberto com esta técnica. A equipe descobriu este objeto no aglomerado estelar NGC1850, uma imagem do qual aparece no início da animação.

Os pesquisadores usaram o instrumento MUSE (Multi Unit Spectroscopic Explorer) montado no Very Large Telescope do ESO no Chile para analisar ao mesmo tempo milhares de espectros de estrelas do aglomerado. Os espectros (representados no vídeo por barras coloridas) mostram a radiação emitida pelas estrelas em diferentes comprimentos de onda e contêm informação sobre a sua composição química, temperatura e velocidade. 

A animação então se concentra em um dos espectros, o de uma estrela com cinco massas solares. As linhas escuras do espectro — devido a diferentes elementos químicos — oscilam para trás e para frente na direção das cores azul e vermelha, o que significa que periodicamente a estrela se aproxima e se afasta de nós. Este fato permitiu aos astrônomos inferir a presença de um buraco negro de 11 massas solares influenciando a órbita da estrela com a sua extrema força gravitacional.

Crédito:

ESO/L. Calçada, NASA/ESA/M. Romaniello. Acknowledgement: J.C. Muñoz-Mateos

Sobre o Vídeo

Id:eso2116c
Idioma:pt-br
Data de divulgação:11 de Novembro de 2021 às 13:00
Notícias relacionadas:eso2116
Duração:28 s
Frame rate:25 fps

Sobre o objeto

Nome:MUSE, NGC 1850
Tipo:Local Universe : Star : Evolutionary Stage : Black Hole
Unspecified : Technology

Ultra HD (info)


HD


Médio


For Broadcasters