Anúncio

O ESO torna-se parceiro da maior rede de astronomia terrestre europeia

31 de Março de 2021

O Observatório Europeu do Sul (ESO) tornou-se membro de um novo projeto, lançado a semana passada: a maior rede de astronomia terrestre europeia — Opticon-RadioNet Pilot (ORP). Esta rede junta 37 instituições, incluindo o ESO, da Europa, Austrália e África do Sul. 

Na ORP, o ESO irá fomentar a transferência de conhecimento ao organizar uma larga gama de programas de formação para a comunidade astronómica europeia, que incluirão escolas de observação em observatórios europeus, assim como workshops de arquivo, instrumentação e escrita de propostas.  A longo prazo, o ESO ajudará também a ORP a desenvolver estratégias que promovam políticas e ações de igualdade de oportunidades no seio da comunidade astronómica. 

Dispondo de um fundo de 15 milhões de euros do programa de investigação e inovação da União Europeia, Horizon 2020, a ORP liga duas redes de astronomia já existentes (Opticon e RadioNet), de modo a juntar vários telescópios e redes de todo o mundo, de modo a proporcionar aos astrónomos europeus acesso a uma vasta gama de instrumentos, assim como formação para os investigadores no início das suas carreiras. A parte dos fundos europeus que corresponde ao ESO irá ser aplicada em infraestruturas de apoio do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) e do Very Large Telescope Interferometer (VLTI), permitindo assim aos astrónomos aceder a serviços de apoio ao utilizador a partir da Rede de Centros Regionais do ALMA. Este fundo será também usado para desenvolver novas ferramentas de investigação e análise para os interferómetros do ESO e para preparar um programa de formação destinado a astrónomos no início das suas carreiras. 

“Através da ORP, duas comunidades astronómicas que observam a diferentes comprimentos de onda, irão juntar-se num enorme esforço de colaboração. Isto facilitará o nascimento de novas ideias e colaborações que eventualmente resultarão numa utilização mais produtiva e eficiente das infraestruturas do ESO, em sinergia com toda a infraestrutura de observatórios europeus ópticos e rádio,” disse Leonardo Testi, astrónomo do ESO e Gestor de Operações Europeias do ALMA, que é o ponto de contacto principal do ESO na iniciativa ORP.

O projeto ORP é coordenado pelo Centro Nacional de Investigação Científica francês (CNRS), que gere a rede em conjunto com a Universidade de Cambridge, Reino Unido, e o Instituto Max-Planck de Rádio Astronomia, Alemanha. 

Mais Informações

Este projeto tem fundos atribuídos pelo programa de investigação e inovação da União Europeia Horizon 2020 através da bolsa nº. 101004719.

O ALMA é uma parceria entre o ESO (em representação dos seus Estados Membros), o NSF (EUA) e o NINS (Japão), juntamente com o NRC (Canadá), MOST e ASIAA (Taiwan) e KASI (República da Coreia), em cooperação com a República do Chile. O Observatório Conjunto ALMA é operado pelo ESO, AUI/NRAO e NAOJ.

Contatos

Leonardo Testi
Observatório Europeu do Sul
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6541
Email: ltesti@eso.org

Andrew Williams
ESO External Relations Officer
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 320 062 78
Email: awilliam@eso.org

Bárbara Ferreira
ESO Media Manager
Garching bei München, Alemanha
Tel: +49 89 3200 6670
Email: press@eso.org

Sobre o anúncio

Id:ann21005

Imagens

Um arco sobre o ALMA
Um arco sobre o ALMA
Vista aérea do VLTI com túneis sobrepostos
Vista aérea do VLTI com túneis sobrepostos